segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Pais Inteligentes... Filhos Burros?(3)

Meu irmão, seis anos mais jovem do que eu(tenho 57), diferentemente de mim, sempre foi ambicioso e mais sociável(e quem não é mais sociável do que eu?rs).

Enquanto eu parava de frequentar as escolas, não queria estudar, matando até aulas, o que acabou por eu ter concluído os estudos bem mais tarde, meu irmão, teve uma vida regular nas escolas, se formando em eletrotécnica.

Quando ele tinha pouco mais de 20 anos, do quintal de casa, escutei um desabafo seu com a minha mãe(minha avó materna também estava presente), lamentando, que com tal idade, não tinha nada na vida. Até chorou...

Trabalhou durante anos, numa famosa multinacional. Como nós nunca fomos muito de conversar(era mais comum brigarmos-rs), eu, por muito anos pensei que ele tinha uma função de destaque na empresa, compatível com a sua formação de eletrotécnico, contudo, um dia, descobri , ao ver o seu cartão da firma, que ele era um peão.

Se casou, aos 27 anos, em 1989. Graças à valiosa ajuda financeira dos meus pais, ele conseguiu um apartamento para morar com a esposa. Teve um casal de filhos.

Trabalhou no Ceasa por uns tempos, mas não com a função de gerenciar, como foi o caso do meu pai.

Um dia, nos anos 90, quando eu morava com a minha avó materna e meu pai, o velho, que tinha acabado de beber cerveja num bar, mas não estava bêbado, desabafou com um casal de tios maternos, que estava a nos visitar: "eu estou mal de filhos, um trabalha como atravessador no Ceasa; outro, pior ainda, não trabalha"rs. E meu tio, que era meu xará, completou: "o xará para ficar igualzinho o Tio J., só falta tocar violino(Tio J., era irmão da minha avó materna, o qual nunca cheguei a conhecer; tinha fama de sistemático e antissocial, e diziam que meu comportamento parecia com o dele e tocava violino-rs).
Fiquei na cozinha, e não dei resposta alguma, mas fiquei chateado . Poxa, meu pai, do alto da sua ignorância, não reconheceu que para a coisa chegar a tal ponto, o fracasso meu e do meu irmão no campo profissional, ele teria também parcela de culpa, até mesmo por ser um pai ausente?

A segunda e atual residência, em que meu irmão mora, é uma casa bem confortável, de dois andares; incompatível com seu salário. E meu irmão não é corrupto. Minha mãe e seu companheiro ajudaram na aquisição da casa. O companheiro da mama ajudou até na compra de um carro, do meu irmão.

Desde o ano passado, ele me isolou. Há menos de um mês, um tio materno, disse ter ficado sabendo, através da sua irmã, que meu irmão está desempregado e perdeu todos os seus dentes. Pior que, infelizmente, não está se adaptando à dentadura...

Seus filhos, uma moça de 23 e um rapaz de 21 anos, trabalham e ajudam em casa, assim como sua esposa, que toma conta de crianças, enquanto suas mães vão para o trabalho.

Com toda a ambição, com o olho grande enorme, meu irmão nada conseguiu, a não ser com ajuda daqueles que eu falei. Eu já contei muito da minha vida, entre tanta coisa contada, que estou falido, à beira da sarjeta.

Apesar dos meus pais terem errado, não mostrando inteligência no sentido de saber empreender o dinheiro, eles eram inteligentes. Meu pai foi um empresário, e depois se tornou um gerente, que era disputado pelos empresários, no Ceasa, percebendo ótimos salários. Minha mãe, como falei, era uma pessoa muito capaz, que ajudou seu marido e seu segundo e último companheiro, a crescerem.

Será que foi azar meu e do meu irmão, o fato de sermos uns fracassados? Será que o motivo é apenas nossa burrice? Bem, pode ser os dois motivos, mas creio que houve falhas na educação que nossos pais nos deram, para a coisa chegar a tal ponto. Praticamente, todos nossos primos, que regulam com a nossa idade, estão bem de vida; só nós fracassamos!

7 comentários:

  1. Li a saga da família,mas acho que a gente tem de ser feliz. Todos nós carregamos histórias, problemas, mas temos de ser sábios e vencer tudo isso. Torço pela reconciliação com seu irmão! :)

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Rovênia, mas acho que eu e meu irmão... sei não...
    Nós nem brigamos, ele é que anda cada vez mais esquisito e não mais me deu papo, nem respondendo a meus e-mails; há dois anos que não me cumprimenta nas passagens de ano, no meu aniversário. E não sou pegajoso, não pego mais no pé.

    Espero que ele arrume um emprego, seja feliz, se adapte com a dentadura, mas não o procurou mais. Se ele me procurar, será bem recebido.

    ResponderExcluir
  3. Você pode ser qualquer coisa na face da Terra, menos burro.
    Pode ter sido ausência paterna (mas desacredito que pais sejam responsáveis pela vida dos filhos, sorry)... acredito sim, que devam dar saúde e educação, mas como você mesmo disse, "eu parava de frequentar as escolas, não queria estudar, matando até aulas"...
    Acho que foi uma sequência de fatores, e que você nunca teve algo em que realmente acreditar, alguém por quem lutar de verdade...
    Mas definitivamente, burro você não é!
    Desculpe por não ter respondido a última mensagem, mas me perdi aqui em meio a tantos posts... Aqui no blog não dá pra ver os posts por data, né? Vi até certo ponto e depois ficou tudo em ordem alfabética.
    Acho que o destino não quis deixar haver um outro Poe, ou outro da mesma estirpe, talvez por isso tenha incutido na sua cabeça o desejo de não estudar rs.
    Só tenha em mente que você não é mais nem é menos, é você mesmo, e isso é o diferencial.
    Beijão da que ainda se sente sua amiga LB.

    ResponderExcluir
  4. Oi Lu, que prazer em te ver por aqui!

    Bem, vc havia aparecido é no outro blog, o das lamúrias.rs

    Depois que vc apareceu, te mandei e-mails. Pelo g-mail, vc havia me bloqueado, aí mandei pelo bol; vc não respondeu; mandei outro e-mail, e ele voltou. Vc mudou seu e-mail? Eu gostaria de voltar a ter contato contigo; te pedir desculpas. Se vc quiser, deixe seu e-mail aqui, não vou publicar.

    Sinceramente, achei seu comentário muito sensato.
    Vc , sim, que é inteligente, e muito!

    Eu sou meio tapado, retardado.rs

    Muito obrigado, e não suma, ok?rs

    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. Olá.
    Acabo de conhecer o seu blog.
    A sua reflexão sobre a sua família me fez pensar um pouco.
    Na minha opinião não existe culpados ou inocentes.
    O seu pai teve uma parcela dele e você a sua.
    Mas você esta vivo,e pela sua narrativa está lucido.
    A vida é preciosa demais,esqueça tudo e comece logo a fazer novos capítulos da sua historia-sua existência.
    Da para perceber que de burro você não tem nada rsrs.
    Boa sorte.

    ResponderExcluir
  6. Seja bem-vinda, Mirtes.

    Vc também nada tem de burra, é muito inteligente!rs

    Gostei muito do seu comentário!

    Apareça sempre!

    Muito obrigado!

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão respondidos.

Marcadores