quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Esboço de Um Chato Sobre Uma Coisa Chata: O Amor


                                             Fisionomia de um homem apaixonado
 O que algumas mulheres fazem ou pensam em fazer, depois de um malogro amoroso
 O ideal seria que fosse assim... Mas não é!
Acabei de responder a um comentário, no post abaixo, e resolvi postá-lo.

Adorei seu comentário. Só discordo de um ponto, eu não acho o amor lindo. Talvez seja até pq minha descrença chegou a um ponto que não estou vendo beleza em nada. Vc, a meu ver, citou loucura com precisão; a coisa mais simpática que poderíamos dizer sobre o amor é que ele é louco. O amor também é enganador, eu penso. E como ficamos fora de si! Pra mim, o amor é tão irracional que acredito mais no mito do cupido do que na ação dos neurotransmissores. "Amor é dor", flechada dói. E o sádico cupido, sabe-se lá o pq, nos induz com sua flecha a amar determinada pessoa. Deliramos tanto, ficamos tão fora de si, que pensamos que esse alguém é muito especial, até mesmo melhor que outras pessoas. No entanto, o encanto passa. Por mais poderoso que seja o veneno do cupido, a razão acaba falando mais alto. E a "maravilhosa" pessoa a qual estávamos perdidamente apaixonado, se torna uma pessoa comum, em alguns casos, até pior que as outras. Não é à toa que muitos dizem que o homem que se apaixona fica bobo. Uma das raríssimas pessoas, no meu âmbito pessoal,   a qual contei sobre minha paixão virtual, disse: "Seus olhos brilham quando vc fala da LL". Me apaixonei intensamente, expus-e pq eu quis- isso tanto no orkut, como na blogosfera. Uns acharam uma loucura, outros parecem ter gostado da minha atitude, do meu exacerbado sentimento. Com isso, atraí mulheres para o meu rol, pq as mulheres são mais românticas. Contudo, não vi interesse em nenhuma delas de ter um romance comigo. E fui acusado de ter um harém, de só querer contato com as mulheres, entre outras coisas. O que ganhei com tanto amor, com tanto sentimento: NADA! Ou melhor, incompreensão, frieza e desprezo!

21 comentários:

  1. Ah... não fala assim...rs
    O amor é a melhor coisa do mundo!!! =)
    Caramba, tenho que ler vááááááárias postagens antes dessa, estou atrasada com as visitas aos blogs "queridos"! =D
    Mas não posso ler e sair sem "falar" nada...rsrs
    Que isso!? Ser romântico, ser apaixonado e corajoso o suficiente para demonstrar isso (seja onde for, mesmo que virtualmente), são qualidades e não defeitos!!! NUNCA pense o contrário! A primeira coisa que "destrói" qualquer "pedacinho" do amor é não acreditar nele mesmo... O princípio básico de T-U-D-O é a "fé": "A fé remove montanhas!" Essa é a frase que muda tudo. Porque nem sempre "acreditar" é uma coisa fácil... Normalmente o "desconfiar" se torna mais acessível mesmo. E o que ganhou com tanto sentimento, tanto amor? O amor por si só já é um prêmio!!! =) Nunca se esqueça disso!
    Bjks!

    ResponderExcluir
  2. Só uma resposta: é bom te ver aqui novamente. Bem, mais uma resposta, se amar em vão e é sofrer, dispenso tais prêmios.rs

    Beijos!
    Volte mais!
    Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. O amor não tem culpa de nada, os culpados somos nós, na minha opinião.

    É como, usando um exemplo tosco, colocar um papel de parede lindo, da melhor qualidade, sobre uma parede que, apesar de bem pintada, esconde defeitos e marcas de infiltração, mofo, rachaduras.

    Com o tempo esses problemas virão à tona.

    Será culpa do papel?

    Não, néam?

    Pois bem, o amor também não tem culpa dos nossos defeitos.

    É o que eu penso, sabe, moço? Só quis compartilhar.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Sabe, Roderick, hoje em dia não sou nada passional. Acho que esfriei meus sentimentos no ponto certo. E gosto disso.

    Já fui uma doida romântica cheia de paixões platônicas e outras correspondidas, mas a maioria me fez sofrer muito, porque nunca tive muita sorte nesse setor.

    Exatamente por sentir que eu tava me acabando com esse comportamento romântico, algo aconteceu dentro de mim e eu esfriei, fiquei muito racional. E posso dizer que isso trouxe paz para minha vida. Porque se era para ficar quebrando a cara direto, melhor ficar sossegada no meu canto... rs.

    Então hoje em dia não me vejo mais como uma mulher romântica, tenho até dificuldade para isso. Acho que os homens mais práticos e objetivos tem mais chance comigo do que os românticos arrebatados. Sei que sou bem ao contrário da maioria das mulheres, mas já me acostumei a andar na contramão de tudo. Sempre sou a exceção.

    E ainda tem gente doida que quer ser diferente. Os difentes sofrem, os iguais se encaixam mais.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  5. Ô moça filósofa(rs), gostei muito do seu argumento. Me lembrei do que muitas pessoas dizem: " a vida não é ruim, a gente é que complica ela". No entanto, reitero que o Cupido é um grande culpado, mas temos nossas culpas , realmente.

    Dama,
    Já andei falando nos blogs, não sei se vc percebeu, que a última vez que me apaixonei, no mundo pessoal, foi em 1991. Depois disso fiquei com algumas mulheres, namorei uma em 1994 e tive um tanto de idas e vindas com minha ex-esposa. Não me apaixonei por nenhuma delas. Eu estava frio, e acabei por apaixonar virtualmente. A meu ver, eu, além de não estar preparado para o mundo virtual, que foi um mundo novo pra mim, não resisti aos encantos da LL. E eu não fui o único, outros, e, pelo menos um deles, que é cinquentão como eu, e bem experiente no mundo virtual, se apaixonaram por ela. E a proporção da minha paixão foi igual à do meu ciume. Eu achei que ela era diferente das outras. Não que eu queira desfazer das outras, mas achei-a bem diferente. Porém, com o passar do tempo, percebi que ela não era bem diferente como pensei. Ela também pensou que eu era uma coisa, depois percebeu que eu era outra. Pelo que pude notar, a frustração foi recíproca. Eu ainda estou muito machucado e desanimado, tendo ainda vontade de abandonar a blogosfera. Enquanto vida e lucidez eu tiver, jamais me conformarei com esse affair virtual que tive. Praticamente três anos de paixão, sem conhecê-la pessoalmente- uma loucura! Nem sei mais o q dizer...

    Luna e Dama,

    Muito obrigado pelas suas presenças.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Não sabia que estava postando e foi ótimo vê-lo, novamente, aqui. O amor pode ser alento ou arma.
    A exposição de sentimentos é muito bela, não importa que o fim do encantamento chegue.
    Eu não daria conselhos a ninguém, nesse campo (rss). Não conheço esse amor amigo, cúmplice, indispensável e saudoso que tanto cantam. Só nos versos.

    Abraços

    ResponderExcluir
  7. Bom te ver aqui novamente, Marilene.
    Estamos empatados: não conheço esse amor amigo, cúmplice, indispensável e saudoso que tanto cantam. Só nos versos. rs

    Grato pelo comentário.
    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Sigo achando que amar sempre vale a pena!!!!

    ResponderExcluir
  9. Mas vc é sempre do contra, Ana, contra mim.rs
    Brincadeira, viu?
    Grato pelo comentário.

    ResponderExcluir
  10. Olá, gostei do seu novo blog, na medida do possível volto a contar nele novamente.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. Oi Superman, seja bem-vindo!
    Apareça sempre! Inclusive, estou te devendo umas visitas. Depois apareço lá.
    E muito obrigado por seguir meu blog.
    Bom final de semana.
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Eu sempre fui uma falsa romantica! Viajo nos amores dos outros, apoio, dou força, faço fé... Acho lindo, choro, me derramo... Mas, quanto a mim, morrooooooo de medooooooooooooo disso... Quando o cupido vem pra cima de mim com aquela flexinha dele cheia de segunda intensões e mostro a ele minha peixera de cangaceira nordestina e pergunto:"Vai encarar?" Ele costuma correr tio Verden!!!

    Essa semana um carinha disse que eu só jogava na retranca... É verdade! E ninguém venha me dizer que o amor não é algo para se temer!

    ResponderExcluir
  13. Certo, sobrinha querida, se arme bem com sua peixeira, amor é fria!
    E se arme bem, pq mesmo com toda retranca bem feita, corremos o risco de levar um gol.
    Bem, desculpe, mas esse carinha queria um cara a cara com vc, não? rs

    Grato pelos comentários.
    Cheros

    ResponderExcluir
  14. Esse carinha queria levar um fora tio! Francamente a pessoa tenta ser educada, mas as vezes os homens pedem, imploram para serem tratados mal. Mas, sim acho que ele queria tuia sim comigo, mas eu não estava ou estou nem afim! #SouChataNéh?

    ResponderExcluir
  15. Aí temos q ser concisos , jogar forte e cortar mesmo. Vc tem partido muitos corações, sobrinha, não? rs

    E as músicas, vai ser feliz quem ganhar meu coração e se eu pudesse conversar com deus, seja franca, gostou?

    ResponderExcluir
  16. Parto nada tio Verden, esses cabras gostam mesmo é de curtir, de usar, chambregar e joga fora, só que eu não tou pra isso, ai eles levam fora e ainda ficam dando uma de doidinhos... E as músicas eu gostei sim!

    ResponderExcluir
  17. Pandora, sério, sobrinha querida, tem que ter cuidado mesmo, ainda mais q o contato é virtual. Melhor ficarmos sós mesmo, eu penso.
    Boa noite!

    ResponderExcluir
  18. o amor é algo tão difícil de decifrar, pois concordo que é muito irracional, levam às pessoas à loucura, aos ciúmes e até a morte as vezes...Quantas vezes ja ouvi falar de pessoas que largaram tudo por amor, e depois ficaram que nem idiotas porque a pessoa que "amava" estava traíndo, ou até mesmo matam por ciúmes e depois se mata.E depois amor é algo realmente bom? Tudo que é em excesso não presta, isso vale muito bem para o amor.

    ResponderExcluir
  19. Denise, quando eu era adolescente, conheci um senhor, que tinha idade quase para ser meu avô, que me confidenciou que foi rico, mas ao ser abandonado pela esposa, jogou tudo fora... chutou tudo pro alto... se tornou pobre.

    Grato pelo comentário.

    ResponderExcluir

Todos os comentários serão respondidos.

Marcadores